Sessão solene comemorativa do 31 aniversário da Cidade de Alverca do Ribatejo.

Comemoramos o 31º aniversário da elevação de Alverca a Cidade. A primeira questão para muita gente é o que isso significa? Normalmente uma cidade significa poder económico e político. A elevação de Alverca a cidade foi assente no seu crescimento económico dissociado do poder político, por essa razão, foi a primeira cidade a não ser, sede de um concelho!

Alverca é a maior e mais robusta cidade do ribatejo, contribui com 1/3 do orçamento da Câmara Municipal, se fosse concelho teria um orçamento aproximadamente de 20 milhões de euros anuais, 80 milhões por mandato, daria para fazer muita coisa, como é freguesia, tem apenas 1.8 milões de orçamento anual. Se a equidade fosse a mola da realidade, Alverca seria uma cidade com poder económico e político, sede de um concelho. Como não é conselho o seu destino é condicionado, fora da sua jurisdição, pelo poder político, Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.

Por isso, quando dizem que este executivo utiliza a junta para fazer política contra a Câmara, estão profundamente enganados. A resolução dos problemas de Alverca e Sobralinho dependem dos investimentos feitos pela Câmara, das decisões tomadas pela Câmara Municipal.


Apenas porque não somos concelho!


Seja qual for a cor política a Governar a câmara, compete ao executivo da junta exigir, em nome da população esses investimentos. Para uns, temos sido muito brandos, para outros, muito duros, temos trabalhado no sentido de criar pontes, sinergias, resolver problemas, foi para isso que nos elegeram, sempre com firmeza, não é por fazer mais barulho que se ganha razão, A razão advém do fim! A razão é boa se o fim for bom em si!

Recentemente um grupo de sras. Solicitou uma reunião, muito satisfeitas com o trabalho realizado pela junta, mas muito descontentes com a recolha do lixo, queriam apoio para recolher o lixo e depositar ás portas da Câmara Municipal, dizia uma, estão a prejudicar o vosso trabalho e eu até sempre votei em quem está na Câmara, a cidade não merece o que nos estão a fazer.

A realidade é que há lixo por recolher todos os dias, que o vento espalha, há monos por todos os lados que não são recolhidos. subsiste razão para recolher lixo e colocar á porta da Câmara? Sim, subsiste! O fim é bom em si, não, não é! Este ato não resolve o problema, em democracia os problemas resolvem-se nas escolhas, escolher as pessoas certas para os fins certos.

Como vos prometi, no momento certo estou a colocar o problema, uma cidade não pode celebrar 31 com lixo por todo o lado, dias afim.


A revolta da população é mesma que a minha, é a revolta da cidade!

Cabe a quem tem de resolver, resolver...

Cabe a quem tem de escolher, escolher...


Contudo, coletivamente também todos temos responsabilidades, a responsabilidade de exigir ao vizinho, amigo, ao comerciante, civismo. O civismo de não colocar o lixo no chão.


Alverca é uma cidade linda, entre o rio e a serra, a sua maior beleza, são as suas gentes, identidade e tradições, temos um movimento associativo dinâmico, somos gente solidária. O ponto de maturidade coletiva a que chegámos é fruto do envolvimento, dedicação e empenho de várias pessoas, instituições, coletividades e empresas, de todos! O que somos hoje, resulta do trabalho de todos no passado e no presente.


Hoje, homenageamos, sem primazia, na certeza de muitos mais serem merecedores, na área social; pela luta contra ampliação da pedreira e aterro sanitário, o estado de Arcena; quem se destacou no quadro mais complicado da nossa existência em ajudar quem mais precisa, o FCA Solidário e o grupo Unir as Mãos e o sr. Associativismo, sempre disponível, tenho a certeza se pudessem, os meninos da AIPNE levavam-no ao colo, João Paulo Silva, no desporto, Rui Damião e Sara Ferreira, Mérito empresarial, Il Pizzaiollo e como ela gosta de ser conhecida, Laura dos plásticos, na cultura; Karpe Diem, e António firme, mérito autárquico, António Pinto.

Nenhum deles, em momento algum se centrou nas dificuldades, mas sim na resiliência, no estoicismo, na superação para atingir os fins a que se propuseram.


Em nome da União de Freguesias que presido, a todos, muito obrigado!



Um bem-haja!

Sejam felizes!



O Presidente da Junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo e Sobralinho

Carlos Gonçalves