Conselhos para fazer um uso eficiente da energia e água em sua casa



Se existe algo de que não devemos ter dúvidas, é que um fazer um uso responsável da energia que se consome, ajuda na redução das contas de energia. É provável que já saiba, mas a eficiência energética não depende só dos eletrodomésticos que possuímos, mas também da utilização que lhes damos. O importante é que também saiba que com pequenos hábitos como apagar a luz sempre que já não for necessário, ou ajustar a temperatura de acordo com as recomendações dadas, podem ajudar a conseguir altos níveis de eficiência energética usando o mínimo de recursos disponíveis.

De forma a aumentar a eficiência energética no seu lar - e pagar menos nas faturas-, a Selectra em parceria com a Junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo e Sobralinho, criaram este conjunto de conselhos que lhe podem ser muito úteis:


1. Desligue totalmente os aparelhos e evite o Stand by

Os dispositivos em stand bye continuam a consumir energia sem necessidade. Especialistas dizem que o consumo desses dispositivos seja cerca de 5% do consumo total da habitação. Um gesto tão simples como desligá-los da ficha, ajuda a poupar eletricidade em casa


2. Aposte no isolamento para evitar as perdas de energia

Parte da energia gerada nas casas serve para compensar as perdas que ocorrem através das portas e janelas com acesso ao exterior. Para se ter uma ideia melhor, uma simples instalação de vidros duplos, pode ajudar a reduzir perdas de energia na casa dos 50%.


3. Ventilação da casa

Nos meses mais frios, aproveite as alturas do dia mais ensolarados para ventilar a casa, abrindo as janelas durante uns 10 a 15 minutos. Nesse período de tempo, o ar é renovado sem arrefecer as paredes e o chão, eliminando a necessidade de gastar mais energia para aquecer as divisões. Durante o dia, deve manter as persianas e cortinas de casa abertas para aquecê-las e fechá-las ao anoitecer. Assim conseguirá reforçar o isolamento térmico.

No verão, ventile logo de manhã, quando estiver mais fresco. Nas horas mais quentes do dia, feche as janelas e persianas para evitar a entrada de calor e aumento da temperatura que levará a usar o ar condicionado, por exemplo.


4. Utilize eletrodomésticos eficientes

No verão, para garantir que o seu sistema de climatização é o mais eficiente em termos de consumo de energia, o ideal é que seja classificado com a etiqueta A das classes de energia. Esta classificação energética pode ser aplicada a outros eletrodomésticos que temos em casa. Quando comprar algum, verifique sempre a que classe energética pertence. Os eletrodomésticos atuais são mais eficientes e apresentam-se com a letra A e cor verde. Os menos eficientes, isto é, aqueles que gastam muito mais, são designados com a letra G e cor vermelha.

É importante ter em conta que estes eletrodomésticos eficientes, não apenas ajudam a poupar energia, mas também, ajudam a reduzir a conta de água. A eficiente utilização destes equipamentos, passa por racionalizar o consumo de energia e de água ao mesmo tempo, pelo que é possível evitar o desperdício deste recurso.

Ao nível dos eletrodomésticos, o consumo eficiente de água passa também por exemplo, em usar a máquina de lavar roupa e de loiça com a sua capacidade máxima e sempre nos programas ecológicos. Estes são os dois equipamentos que mais gastam água, e por isso, devem ter em conta sempre a etiqueta energética: quanto mais eficiente, maior a poupança na conta de água e energia.


5. Apostar na energia verde

Felizmente, nos dias de hoje, já existem muitas alternativas baseadas em energia limpa com as quais podemos reduzir os gastos da conta de luz e fazer um uso mais responsável da eletricidade que consumimos, como por exemplo, a aerotermia.

No mundo do ar condicionado, a energia aerotérmica é basicamente uma tecnologia que utiliza principalmente a energia do ar para climatizar espaços. Em geral, é considerada uma fonte de energia limpa e altamente eficiente.

As vantagens em relação aos sistemas tradicionais de climatização:

  • São mais ecológicos, já que usam uma fonte de energia renovável.
  • Produzem mais energia do que a que gastam. Para funcionar, utiliza 70% da energia proveniente do calor existente num determinado local e só 30% da eletricidade.
  • São simples de instalar.
  • Podem alterar a temperatura sem alterar o grau de humidade.

6. Comunicação da leitura mensalmente

Uma das várias formas que podemos aplicar para controlar o consumo de energia, e para que a fatura não seja uma dor de cabeça, é comunicar a leitura da luz à sua empresa de energia. Na verdade este é um conselho oferecido pela maioria das fornecedoras de energia.

Ao enviar a leitura da luz, todos os meses, vai evitar que a sua fornecedora lhe envie uma conta com leituras estimadas. Este tipo de leitura pode ter consumos que não ocorreram, levando o cliente a pagar mais por isso, sendo acertado, quando existir uma leitura real. Portanto, se quer ter a certeza de que não paga a mais nem a menos, envie as leituras todos meses!


7. Tarifas de energias ajustadas

De nada servirá poupar luz, se as tarifas não estiverem de acordo com o consumo e necessidade. No mercado de energia, as tarifas de luz mais conhecidas são as tarifas simples e bi-horárias. Na primeira, energia tem o mesmo preço todos dias e a todas as horas. No caso das tarifas bi-horárias têm dois ciclos horários (semanal e diário), sendo que o valor do kWh altera em função do dia da semana. Pense no seguinte: se apenas está em casa aos fins de semana, vale a pena pagar o mesmo valor de kWh todos dias? Ou, se apenas usar energia elétrica depois das 23h, compensa ou não ter uma tarifa bi-horária? A sua companhia de energia pode ajudar a decidir a melhor opção!


8. As tarifas sociais

Temos assistido ao aumento dos apoios sociais em Portugal e em diversos setores. A tarifa social concede aos agregados familiares com menos rendimentos um desconto na conta de energia. O desconto está disponível para os titulares do contrato e o seu agregado familiar, sempre que o consumo de eletricidade e gás se destine ao uso doméstico.

As condições de elegibilidade estão relacionadas com os apoios sociais facultados pela segurança social, tais como, rendimento social de inserção, abonos de família do escalão A, subsídios de desemprego, pensão de invalidez e velhice.

Às companhias de energia será comunicado sempre que o cliente for elegível, sendo que o desconto passará a ser aplicado de forma automática na fatura de energia.